Notícias

Estamos certificados em cibersegurança segundo a norma ISO 27001

  • 23 Abril 2020
  • Artigos

• Lloyd’s Register certifica o Sistema de Gestão da Segurança da Informação do Grupo, cujas dez companhias operam em modo teletrabalho, em resposta ao alerta de saúde COVID-19.

A ClarkeModet obteve a certificação do seu Sistema de Gestão da Segurança da Informação ao abrigo da norma internacional ISO/IEC 27001. Este certificado acredita que a empresa dispõe de um sistema para prevenir e gerir eficazmente as ameaças e riscos de cibersegurança, garantindo a confidencialidade, integridade e disponibilidade da informação.

O certificado foi concedido pelo organismo de certificação independente Lloyd’s Register à sede da ClarkeModet em Madrid, onde estão centralizados os sistemas de cibersegurança de todo o grupo de companhias nos dez países da Europa e América Latina.

Esta certificação surge num momento chave para a ClarkeModet, cujas filiais operam em modo teletrabalho face ao alerta de saúde COVID-19. As medidas de segurança adoptadas pelo Grupo permitiram que o grosso das equipas na Europa e na América Latina, com mais de 500 empregados, funcionasse à distância com as maiores garantias de cibersegurança contra o aumento dos ciberataques e do phishing que se está a verificar à escala mundial.

Como nos explica Eusebio Yribarren, nosso Diretor Corporativo de Tecnologias da Informação, “Devido à natureza do nosso negócio, tratamos informações confidenciais e sensíveis relacionadas à Propriedade Industrial e Intelectual dos clientes”. Por esta razão, a cibersegurança sempre foi uma prioridade para nós e trabalhamos com sistemas e procedimentos que garantam protecção contra ciberataques, cada vez mais frequentes e sofisticados, bem como a prevenção de qualquer quebra de segurança na empresa”.

Além disso, “a certificação em cibersegurança é essencial para as empresas no domínio jurídico, uma vez que nos permite corroborar que temos vindo a cumprir aspectos fundamentais para a segurança da informação confidencial; por exemplo, que o acesso a determinados dados é limitado a determinadas pessoas, bem como que a informação é tratada de forma a garantir a sua integridade e a sua disponibilidade no momento em que é necessária”.

O último relatório da Organização Internacional de Normalização (ISO), correspondente a 2018, indica que a Espanha é o sétimo país do mundo em centros certificados em segurança da informação.

¿Te ha parecido interesante? ¡Compártelo en tus RRSS!

Digite sua pesquisa